Resposta de evangelizador

Cantor que no passado cantava só cantos religiosos perguntou-me se estava traindo Jesus por ter tentado a carreira artística com canções não religiosas.

Lembrei-lhe que grandes cantores de fama mundial começaram cantando nas igrejas e em palcos católicos e evangélicos. Alguns deixaram suas igrejas, outros continuaram, mas agora cantavam o amor ou as suas angústias e esperanças.

Não fizeram como eu, a promessa de só cantar para evangelizar. Eu sou padre e não me sentiria bem se passasse a cantar só canções não religiosas. Mas é promessa é convicção minha.

Veja também:
O tipo de padre que eles querem
A batalha da “Cura Gay”

Se alguém acha que já serviu a Igreja o suficiente e agora quer se dedicar a outra carreira, é só trocar o nome e seguir em frente. O cantor em questão tinha uma banda carismática.

Deixou o grupo que ficou com o nome católico e foi cantar de novo no palco e na noite. Ali ganharia a vida e o sustento de sua família! Nada mais justo. Se não era mais convidado, o sustento da família vem antes.

Não é porque um grupo católico ou evangélico começou na Igreja que não pode mudar seu repertório. Se não está cantando sujeira nem anti-mensagens estará evangelizando. É só mudar o nome se nunca mais cantar canções espirituais e religiosas.

Ninguém é obrigado a cantar só musicas da sua igreja. Se ganhar seu sustento cantando canções profanas e não religiosas, eu respeitarei.

Eu fiz este voto, mas não espero que todos façam o mesmo voto que eu fiz!

Faça um comentário